Egito - História e Cultura milenária

 

 

 

 Í n d i c e
 Documentos e Saúde 
 Clima e Fuso horário 
 Idioma e Moeda 
 Conselhos e Gorjetas 
 O que ver 
 Onde comer 
 Onde dormir 
 Alugar Carro 
 Compras 
 Galeria de fotos 

 IMG 1537 

O que ver: 

 

Cairo - cidade que pode ser vista como um museu aberto entre as mesclas do antigo e do moderno, com seus bairros, ruas, becos e zocos. A capital se mostra como uma cidade de culturas e pessoas que moldaram civilizações. Na verdade muitos atrativos se encontram na cidade do Cairo, no seu centro tem um grande número de monumentos islâmicos e cristãos. Seu museu, único no mundo abriga o túmulo de Tu-ang-Ammon e a história faraônica por séculos. Por outro lado, é imprescíndivel dar um passeio pelo mercado oriental do século XIV Khan el Kalili para ver as lojas de jóias de ouro, prata, madeira, pele e bordados, essências e outros produtos. Ainda na capital vale um jantar em um barco, após o barco navegar pelas águas do Nilo e degustarmos deliciosos sabores da gastronomia egipcia fomos animados por um espetáculo de música e dança que nos mostrou um pouco mais da beleza desta cultura.  

Atravessando o Nilo em Gizé é que se encontram as Pirâmides. Não se surpreenda hoje elas ainda se encontram no deserto mas a cidade já chegou até ela. E dependendo do hotel que escolha ficar em Gizé voce poderá avistá-las do seu quarto.

 

Pirâmides de Gizé - Primeiro lugar a se visitar. Na necrópole de Gizé, a de Keops começou a ser construída em três fases ao longo de 30 anos. Nesta área existem 300 túmulos. Ela tem uma base quadrada de 23º metros lateralmente e 137 metros de altura e cerca de três milhões de blocos de pedra que foram revestidos de areia. A Grande Pirâmide é a única das Sete Maravilhas ainda existente. À noite, o local apresenta um show de som e luz. Nela se encontra a sepultura de Henutsen, meia-irmã de Keops e da Rainha Heteferes, a mãe do faraó. Dela se tem as primeiras referências no século V a.C.

Ao lado a de Quéfren, filho de Quéops, que destaca a Esfinge ou "Pai do Medo" com 20 metros de altura e 73 metros de comprimento que conectam por passagens com a pirâmide. Então a de Mikerinos com uma altura de 66 metros e várias salas falsas. Sua construção é atribuída a rainha Nitócris, esposa do último faraó da sexta dinastia.

 

Templo de Hatshepsut

Um belíssimo complexo de terraços, rampas e salas escavadas na rocha, na margem oposta de Luxor, que o arquiteto Sennenmut construiu para a poderosa rainha Hatshepsut.

 

Templo de Edfu

Dedicado a Horus, o deus falcão, e começado em 237 a.C. por Ptolomeu III, é um dos templos mais bem conservados do país.

 

Templo de Philae

Como os grandes templos da Baixa Núbia, os da ilha de Philae foram desmontados pedra por pedra e se mudou para o local atual, após a construção da barragem. Cerca de 8 quilômetros de Assuan, seu templo principal belíssimo e acessível apenas por barco, é dedicado a Isis. À noite se pode assistir a um espetáculo de luz e som.

 

Abu Simbel

Escavada na rocha, o templo principal é dedicado a Ramsés II e o segundo a Nefertari, sua esposa favorita. Ambos foram transferidos para o local atual no início dos anos 60 para evitar desaparecessem sob as águas com a construção da barragem de Assuan. À noite se pode assistir a um grande espetáculo de luz e som.

 

Em Luxor, margem direita (670 km ao sul do Cairo)

Templo de Luxor. Foi começado sob Amenhotep III, após Ramsés II deu uma mão e não foi concluída até a era muçulmana; se pode ver inclusive pinturas cristãs primitivas, e na parte da entrada há uma mesquita, a de Hagag; que foi consagrada a Amon Ra. Você pode fazer visitas noturnas.

 

Conjunto de Karnak. São vários templos, a construção mais antiga começou em 2000 a.C., dedicado à Tríade de Tebas (Amon, Mut e Khons). Fecha às seis da tarde. Aqui se realiza um espetaculo de som e luz.

 

Museu de Antiguidades de Luxor. Inaugurado em 1974, mas recentemente renovado, não tem muitas peças, mas de grande valor (a estátua de Tutmés III, por exemplo, é considerado como uma das mais perfeitas da arte egípcia).

 

Museu de mumificação. É quase ao lado, pedagógica, nada de mórbido.

 

Em Luxor, na margem esquerda

Colossos de Memnon. Únicos restos do templo de Amenhotep III.

 

Medina Habu. Conhecido como o "Karnak da margem ocidental," Medina tem vários templos, começando com Ramsés III, com relevos de cor extraordinária.

 

Ramesseum. A dois quilômetros da aldeia de Deir El Medina, templo mortuário construído pelo Grande Ramsés II, muito arruinado, com relevos da batalha de Kadesh. O nome foi dado por Champollion.

 

Deir El Medina. Aldeia onde os artesãos que trabalharam sobre os túmulos reais ficavam hospedados; se pode ver os túmulos dos trabalhadores com pinturas da vida cotidiana.

 

Vale dos Reis. Mais de sessenta tumbas reais das dinastias XVIII, XIX e XX. Vale a pena especialmente a de Ramsés IX, por seus relevos policromados, o de Tutmés III, de Ramsés I, Ramsés III, Ramsés VI, de Seti I, Tutmés III ...  A de Tutankhamon, descoberta por Carter em 1922, não é tão interessante (mas o seu conteúdo no Museu do Cairo o é).

O Templo de Hatshepsut é algo à parte, em terraços arcados contra as falésias de Deir al-Bahari, com relevos de suas campanhas e construção de templos, foi construído por Senemut seu amante.

 

Vale das Rainhas. Entre os destaques estão os túmulos de Príncipe Amenirjopshef filho de Ramsés III, conservados em perfeito estado, o da rainha Ti e o de Nefertari e aberto ao público de forma restringida em 1995 (e atualmente está suspensa a visitação).

 

Vale dos Nobres. Os mais famosos são os túmulos de Ramose, Najet, Menna e Senefru.

 

Em Dendera

Templo de Hathor. Maravilhosos tetos e relevos nas paredes, salão hipostilo (teto sustentado por colunas) e santuário com as onze "capelas divinas".

 

Em Esna

É muito difícil visitar este templo por razões de segurança.

 

Em Edfu

Templo de Horus. O mais completo e mais bem preservado do Egito, embora do período Greco-Romano; do píer ao templo você pode ir de calesa (charrete), pois há uma boa distância.

 

Em Kom Ombo

Templo Bilateral (de dois deuses, Sobek e Haroeris) da era ptolemaica. Preste atenção para o relevo dos instrumentos cirúrgicos. Espetacular localização nas margens do Nilo, na cidade de mesmo nome, é dedicado a Sobek, o deus crocodilo, e Hórus, o deus falcão.

Espetáculo de Som e Luzes

Desde 1972, ele é um clássico para os turistas. Se celebra em Karnak. Sessões em Árabe, Inglês, Francês, Alemão, Espanhol, Italiano e Japonês, dependendo do dia.

 

Alexandria, a cidade na zona do Mediterrâneo é conhecida como a pérola. Foi a capital do país na época greco-romana e conhecida por seu farol construído no século III a. C. e do trânsito no comércio mundial. Você deve visitar a coluna de Pompeu, as catacumbas de três níveis, com relevos e estátuas do século II a.C. O Museu Greco-Romano com esculturas em bronze e madeira do século III a.C. e moedas da época do califado e outros monumentos islâmicos, como a Mesquita de Abu Al Abbas.

 

A melhor maneira de conhecer o Egito é através de um cruzeiro de barco pelo Nilo e parar em pontos de interesse ao longo da história, e se temos tempo para descansar, algo bom são as margens do Mar Vermelho. Ele é conhecido para a prática de esportes aquáticos, desfrutar das praias, e o fundo do mar com seus corais. A área de Sharm el Sheikh pode ser uma das melhores recomendações.

 

 

 

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade

 

 


 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

Newsletter de Viagem com Sabor

parceiros Vision ViajesTurismo Likeatourist giganet1 Norte Turistico ABLturismo Teleaire Gianpaolobonomi Euromundo

 

 

 

 

 

             

 

               

 

 

             

 

     

 

 

 

   

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Google+